1Ao mestre de canto. Não destruas. Salmo de Asaf. Cântico. Nós vos louvamos, Senhor, nós vos louvamos; glorificamos vosso nome e anunciamos vossas maravilhas. 2No tempo que fixei, julgarei o justo juízo. 3Vacile, embora, a terra com todos os seus habitantes, fui eu quem deu firmeza às suas colunas. 4Digo aos arrogantes: Não sejais insolentes; aos ímpios: Não levanteis vossa fronte, 5não ergais contra o Altíssimo a vossa cabeça, deixai de falar a Deus com tanta insolência. 6Não é do oriente, nem do ocidente, nem do deserto, nem das montanhas que vem a salvação. 7Mas Deus é o juiz; a um ele abate, a outro exalta. 8Há na mão do Senhor uma taça de vinho espumante e aromático. Dela dá de beber. E até as fezes hão de esgotá-la; hão de sorvê-la os ímpios todos da terra. 9Eu, porém, exultarei para sempre, salmodiarei ao Deus de Jacó. 10Abaterei todas as potências dos ímpios, enquanto o poder dos justos será exaltado.
Gn Ex Lv Nm Dt Js Jz Rt 1Sm 2Sm 1Rs 2Rs 1Cr 2Cr Esd Ne Tb Jdt Est 1Mac 2Mac Jb Sl Pr Ecl Ct Sb Sir Is Jr Lm Br Ez Dn Os Jl Am Abd Jn Mq Na Hab Sf Ag Zc Ml Mt Mc Lc Jo Act Rm 1Cor 2Cor Gl Ef Fl Cl 1Ts 2Ts 1Tm 2Tm Tt Flm Heb Tg 1Pe 2Pe 1Jo 2Jo 3Jo Jd Ap